Coluna: Para repensar a poética, por J. Rowstock

*Este conto faz parte da Revista Cornucopia Vacua #00.

Josué Rowstock, estudante de Letras na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), é quem encabeça o Febre de Rato, projeto independente que injeta literatura todos os dias na linha de tempo do Facebook. Além disso, escreve poesias, crônicas e romances publicados nos jornais, em livros e até nos postes pela rua. Já tive o prazer de prefaciar o seu livro De Tudo e Mais um Pouco, lançado em 2013. Reproduzo um parágrafo aqui, pois ele resume o que penso sobre a obra desse poeta marginal: “Um bom escritor é um bom tradutor do mundo e J. Rowstock é um bom escritor. E escreve em vários lugares: nestas páginas, de modo virtual, no poste pra todo mundo ver. Não se pode fugir do que esse cara tem a dizer justamente porque ele fala do nosso cotidiano. Expõe nossas vísceras com um tapa de luva.”

Site | Febre de Rato

14.09.12 - Para Repensar a Poética_JRowstock

Para repensar a Poética

Por J.Rowstock

Tudo bem gostar de livros de poesia tradicionais, eu como escritor e leitor também prefiro a maneira habitual de degustação poética literária. Entretanto, acredito que deveríamos repensar as formas de fazer poesia, de modo que estamos vivenciando uma época onde o consumo para com a poesia é cada vez mais baixo. Livros de poesia vendem tão pouco que hoje em dia as editoras só lançam quem já têm um público realmente fiel ou as já reedições de poetas consagrados de outrora.

Uma vez que a poética está um tanto quebrada ao meio, é imperativo salvar este modelo de escrita repensando a poesia. De modo que se faz necessários termos de volta aquela poesia cantada como em outros tempos, pois de fato esta poesia  que hoje temos e que estamos lendo de voz baixa e impressa apenas num papel branco ou pardo até poderá conseguir manter seus leitores fiéis, porém não ganhará mais do que isso, já que os novos leitores que mais estão acostumados a televisão e ao computador não sentirão o tesão necessário para apreciar a boa poesia.

Talvez, seja o modelo corriqueiro de lançamento de livros de poesia que faz a poética perder um tanto de leitores e estagnar a produção. De fato, temos tão bons poetas como nunca tivemos, mas para fazer essa nova geração deslanchar é preciso pensar novas formas de fazer poesia e de vender poesia.

Portanto, é imperativo buscarmos novidade se quisermos somar e multiplicar leitores de poesia no Brasil e no mundo. Repensar a poética que vêm sendo feita é preciso…

Anúncios

3 opiniões sobre “Coluna: Para repensar a poética, por J. Rowstock”

  1. Josué Rowstock, resume nossos anseios como poetas, a vontade de repensar, recriar, relançar e quem sabe reescrever os caminhos poéticos, gosto principalmente de quando fala do
    “retorno da poesia cantada”, o poema (en)canto como forma de repensar a poética. Parabéns por nos presentear com o seu texto.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s